Ouro nos Jogos do Rio, saltador Thiago Braz é demitido pelo Pinheiros

ATLETISMO

Foto: WANDER ROBERTO
Ouro nos Jogos do Rio, saltador Thiago Braz é demitido pelo Pinheiros
Thiago Braz foi medalhista de ouro na Rio 201

DEMÉTRIO VECCHIOLI - UOL ESPORTES

O Pinheiros decidiu que não vai esperar os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021, para reduzir o investimento no esporte olímpico. O maior clube poliesportivo do país anunciou esta semana ao astro Thiago Braz que o contrato dele estava sendo rescindido de forma unilateral, com oito meses de antecedência.

O saltador, ouro na Rio-2016, já não é mais atleta do Pinheiros, mas receberá salários até o último dia deste mês de abril. A situação fica ainda mais delicada quando se observa que não há outro clube profissional de atletismo no país para o campeão olímpico defender.

Como o UOL Esporte revelou no começo do ano passado, o Pinheiros vive internamente uma forte queda de braço entre grupos que defendem o histórico de investimento no esporte de alto rendimento, que fez o clube paulistano ser referência no país, e grupos ligados à diretoria que veem esses gastos como supérfluos.

Mas, até o início do mês passado, a preocupação era o que aconteceria com o esporte pinheirense após os Jogos de Tóquio. O clube costuma firmar contratos anuais e, passada a Olimpíada, a tendência era o Pinheiros se desfazer de diversos nomes de peso. Como a competição foi adiada, o Pinheiros agora precisa estender os contratos por no mínimo oito meses para poder ganhar visibilidade com esses atletas olímpicos.

Em um momento de provável recessão na economia brasileira e sem grandes competições previstas para 2020, o Pinheiros preferiu não esperar. Na quarta-feira (22), procurou a NN Consultoria, dos pais de Neymar, que agencia Thiago Braz, e a comunicou da decisão unilateral.

Não houve comunicação direta ao atleta, até porque os dirigentes que o contrataram em 2017 também já foram demitidos. A assessoria de imprensa da NN diz que não tem conhecimento sobre o assunto.

Em nota à reportagem, o Pinheiros confirmou a decisão ressaltando que “o esportista que mora na Itália é um parceiro consolidado do Pinheiros”. Thiago, porém, oficialmente mora no Brasil e apenas está em camping de treinamento na Europa.

De acordo com o Pinheiros, o clube irá arcar com uma multa rescisória, que seria de 50% dos valores devidos até dezembro. “Importante frisar que a rescisão poderia ser feita em qualquer período pelo clube e estamos arcando com todos os custos”, diz a diretoria.

Internamente, a decisão pela rescisão com Thiago Braz se explica também pela falta de retorno no investimento. O atleta era um dos mais bem pagos do clube, o maior salário do atletismo, mas deu pouca visibilidade ao Pinheiros.

No atletismo, os esportistas só defendem seus clubes em uma única competição, o Troféu Brasil, onde o Pinheiros não tem adversários, já que é agora o único clube profissional do país. A competição nos últimos anos ocorreu em Bragança Paulista (SP), longe da imprensa e sem transmissão na TV.