Handebol Cascavel FAG é vanguarda nos treinamentos

O principal objetivo das atividades realizados diariamente por é minimizar os riscos de lesões pós pandemia


Em tempos de pandemia, as atividades em quadra foram trocadas por trabalhos home office. Mas como transferir o acompanhamento presencial para o remoto e não deixar com que as atletas fiquem sem trabalhar?
As respostas serão dadas por Gabriel Martini e João Pedro Martin, acadêmicos do 9º período no Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz, ao longo desta matéria.
O trabalho com as atletas cascavelenses vem sendo realizado diariamente e o principal intuito da comissão técnica é minimizar os riscos de lesões na volta aos treinos pós pandemia. Ambos fazem parte de um projeto científico da instituição e são supervisionados pelo Professor Doutor Marcelo Taglietti.


Os vídeo como exemplo, os acadêmicos da comissão técnica da FAG/PM de Cascavel/Bearskin CrossFit encaminham vídeos explicativos e demonstrativos através do WhatsApp das atletas, para que haja o entendimento total do que é necessário realizar. Existem trabalhos coletivos que elas devem cumprir todos os dias e também o atendimento individual, de acordo com a necessidade das atletas. Os acadêmicos responderam juntos o questionamento da Assessoria de Imprensa da equipe. Confira:
Quais atividades as atletas tem realizado nesse período?

Exercícios de mobilidade, estabilidade, gestos específicos e fortalecimentos específicos de acordo com as necessidades das atletas para minimizar os riscos de lesões ao longo da temporada.

Qual a carga de trabalho tem sido exigida?

Um período todos os dias, sendo pré-treino do estabelecido pelo preparador físico e, duas vezes na semana, além dos pré-treinos realizados, as atletas fazem fortalecimento específico de acordo com sua necessidade. Por exemplo: se a atleta já teve uma lesão em algum músculo específico ou se desencadeia alguma dor ou desconforto em alguma articulação e, o trabalho de força pode ajudar a minimizar essas lesões.

Qual a importância dessas atividades nesse período de ausência dos trabalhos de força e dos trabalhos técnicos em quadra?

Os trabalhos de mobilidade, estabilidade e fortalecimento em casa não atingem a intensidade da carga de treino em quadra, academia e fisioterapia, uma vez que os mesmo não apresentam situações reais de jogo, pois tem cargas reduzidas, porém são de extrema importância para minimizar os riscos de lesões na volta aos treinos pós pandemia. O nosso objetivo principal é tentar atingir o mais próximo da intensidade que as atletas teriam durante uma semana do treino normal.

Ainda não sabemos como será a realidade e rotina da equipe pós pandemia, mas podemos citar com exemplo o retorno do Campeonato Alemão: na primeira rodada pós pandemia, com seis jogos, oito atletas tiveram lesões musculares (não traumáticas). Isso nos mostra a importância dos trabalhos em casa para que quando acabar esse período, haja o mínimo possível de prejuízo físico para as atletas.

É importante frisar que esse trabalho em casa serve como uma pré-temporada (com intensidade reduzida) para quando nossas atletas voltarem aos treinamentos a carga seja gradual e progressiva.

Quais as principais dificuldades das atletas na realização das atividades? E como tem sido a adesão das atletas quanto as atividades?

A maior dificuldade é não ter o comando verbal durante a realização dos exercícios, porém são exercícios que as atletas realizam em suas rotinas diárias de treinamentos normais e as correções por vídeo estão sendo positivas. As atletas tem aderido muito bem a ideia. O contato é diário por meio de vídeos e correções virtuais.

Muito tem se comentado de que os profissionais, de uma maneira geral, terão que se readequar e se reinventar após a pandemia. Esse trabalho 'virtual' pode ser expandido com a normalização das atividades?

Sim. Desde a rotina normal antes da pandemia nós já realizávamos alguns trabalhos virtuais, correção de exercícios ou até mesmo enviando específicos durante a semana de treinos, agora com a necessidade da pandemia estão bem mais intensos. Porém com o término da pandemia o trabalho virtual jamais substituirá o trabalho presencial e em grupo, pode ser somente algo para somar durante o dia a dia das atletas.


João Pedro auxiliando as atletas durante os treinamentos (Foto: Reprodução/FAG)

Vamos demonstrar na prática como tem sido o nosso período de atividades ao longo dessa pandemia do novo coronavírus. Nos vídeos abaixo, utilizaremos sete atletas como exemplo das atividades que vem sendo realizadas pelo elenco. Bella e Cássia (centrais), Day, Mary e Taty (pontas), Isabela (goleira) e, Pamela e Rôh (pivôs) realizam os mais diferentes tipos de exercícios, sempre supervisionados pelos acadêmicos da equipe.