Futebol em Curitiba teve prada de quatro meses durante a Gripe Espanhola de 1918

A rádio Banda B lembrou que Campeonato Paranaense ficou suspenso de outubro até janeiro devido à pandemia

Foto: REPRODUÇÃO - JORNAL A REPÚBLICA
Futebol em Curitiba teve prada de quatro meses durante a Gripe Espanhola de 1918
Jogadores entre América e Acadêmico em 19 de outubro. Um dos últimos jogos antes da suspensão

PEDRO MELO - BANDA B

O Campeonato Paranaense de 2020 está paralisado desde o 15 de março e ainda não tem data para retornar devido à pandemia da Covid-19. Mas como foi o tempo sem jogos do estadual durante a Gripe Espanhola de 1918?

A reportagem da Banda B conversou com o historiador Eduardo Santos Costa, membro do Stadium, Grupo de Estudos de História do Esporte e das Práticas Lúdicas, para saber quais são as semelhanças e diferenças, e como foi a cobertura da imprensa esportiva da época.

Como foi a disputa do Campeonato Paranaense de 1918?

Os sete participantes do estadual – América-Paraná Sport Club, Britânia Sport Club, Coritiba Foot Ball Club, Internacional Futebol Clube, Esporte Clube Água Verde e Associação Acadêmica de Esportes – jogaram em turno e returno. O início da competição foi em 12 de maio de 1918 e o término apenas em 26 de janeiro de 1919.

Quando houve a paralisação por conta da Gripe Espanhola?

O último jogo realizado antes da suspensão do futebol em Curitiba foi a vitória do Água Verde por 4 a 2 sobre o América, em 20 de outubro. No dia seguinte, o jornal A República noticiou que a capital paranaense ainda não tinha casos da Gripe Espanhola, mas já demonstrava preocupação com os casos em outras cidades do Estado do Paraná.

A Prefeitura de Curitiba publicou um decreto no dia 25 de outubro para evitar aglomeração na cidade. Segundo o jornal A República, a medida era uma “medida preventiva contra a invasão dessa epidemia, suspender o funcionamento de cinemas e outras casas de diversões desta capital”.

As corridas no Jockey Clube aconteceram no dia 27 de outubro, enquanto os cinemas continuaram divulgando atrações nos jornais durante o mês de novembro, quando houve o pico da doença em Curitiba. Já o Campeonato Paranaense não teve nenhuma partida disputada.

O retorno do futebol em Curitiba

Os jogos de futebol na capital paranaense retornaram apenas quando o pico da Gripe Espanhola já tinha passado. A informação sobre a paralisação do estadual da Associação Desportiva Paranaense foi noticiada apenas em 14 de dezembro. O motivo para a suspensão era que os diretores da entidade contraíram a doença.

“Eles anunciaram na metade de dezembro que estavam começando a ter reuniões para a retomada do campeonato e justificam a paralisação dizendo que a direção da Associação Paranaense de Esportes foi contaminada pela gripe. Essa foi a justificava para a paralisação”, relatou Costa.

A primeira partida disputada foi o amistoso entre Coritiba e Internacional, no dia 22 de dezembro . Já o Campeonato Paranaense voltou com a vitória do Coritiba por 3 a 0 sobre o Britânia, em 05 de janeiro. Foram 78 dias de suspensão do estadual.

Já o último jogo do Paranaense de 1918 foi disputado em 26 de janeiro de 1919. O Britânia goleou o Internacional por 5 a 0, no estádio Belfort Duarte, do Coritiba, e garantiu o título. De acordo com o jornal A República, três dos cinco gols foram marcados no primeiro tempo.

Como foi a cobertura da imprensa da paralisação do esporte?

Ao contrário do que acontece durante a pandemia da Covid-19, a cobertura da imprensa sobre a paralisação foi do esporte foi pequena. “A pesquisa centrou nos dois esportes que tinham cobertura pelos jornais na época: futebol e turfe. Estava tendo o campeonato da Associação Paranaense de Desportos e a cada final de semana tinha a cobertura. Naquela época não tinha uma cobertura de duas, três páginas para os esportes, mas uma coluna bem pequena na primeira ou na segunda página dos jornais. O turfe tinha pouco mais de espaço, mas não era todo final de semana que tinha corrida no Jockey Clube”, disse Costa. 

“No dia 25 de outubro foi lançado um decreto que restringia o funcionamento de cinemas e de diversão, mas não fala especificamente em esportes. A gente percebe que a partir daquela data o futebol desaparece dos jornais, nenhum fala da suspensão dos campeonatos. O Jockey Clube ainda tem uma corrida após a suspensão, mas só teve outra notícia em abril de 1919. A gente tem muita pouca informação nos jornais e algumas informações sobre como aconteceu o campeonato só foi encontrada em uma revista do Rio de Janeiro”, acrescentou.

Os jornais sequer relataram como foi a volta do público aos estádios. “O que achei que faltou nas fontes foi a questão do público. Antes da paralisação, a gente tinha essa questão que era um grande público acompanhando as partidas e uma partida de futebol era potencialmente um disseminador do vírus. Teve público na partida final, mas não dá a dimensão de quantas pessoas viram a partida”, comentou o historiador.