Corinthians e Palmeiras disputam hegemonia em finais

A final do Paulistão 2020 acontece às 16h30 deste sábado

Foto: CÉSAR GRECO
Corinthians e Palmeiras disputam hegemonia em finais
Corinthians x Palmeiras

AGÊNCIA BRASIL

O equilíbrio no Dérbi Paulistano, entre Corinthians e Palmeiras, no qual o Timão tem só uma vitória a mais que o Verdão na história do confronto (128 a 127), também é observado nas ocasiões em que eles se enfrentaram em finais de Campeonato Paulista. Neste sábado - 16h30, na arena palmeirense, os rivais decidem m título estadual pela sétima vez. Até agora, são três conquistas para cada lad0. No jogo de ida, na arena corintiana o resulytado foi 0x0. 

O retrospecto, que começou a ser construído em 1936, já teve larga vantagem palmeirense. Além de ficar com o título na primeira decisão - ainda com o nome Palestra Itália -, o Alviverde superou o Corinthians nas finais de 1974 e 1993. Depois, só deu Timão: em 1995, 1999 e 2018. Esta última foi lembrada com uma faixa estendida por um drone que sobrevoou a Arena corintiana durante o primeira fase. Na ocasião o Alvinegro venceu o Verdão por  1 a 0. Foi o primeiro dérbi sem público, exigência sanitária devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). 

Por ter melhor campanha - 28 pontos contra 23 -, o Palmeiras mandará o duelo decisivo em casa, neste sábado. O Verdão avançou à segunda fase como líder do grupo B, à frente do Santo André, a quem eliminou nas quartas de final, por 2 a 0. Na semifinal, o Alviverde superou a Ponte Preta, por 1 a 0, e se garantiu na decisão pela terceira vez na década. A equipe não levanta a taça estadual desde 2008. O técnico atual, aliás, é o mesmo de 12 anos atrás: Vanderlei Luxemburgo.

Antes da paralisação de quatro meses do Paulistão, por conta da pandemia, o Corinthians era tido como praticamente eliminado ainda na primeira fase, já que precisaria vencer os dois jogos que lhe restavam e torcer contra o Guarani. O Bugre não só passou em branco como o Timão ganhou as duas partidas, uma delas contra o próprio Palmeiras, avançando em em segundo lugar no grupo D. Nas quartas, os alvinegros superaram o Red Bull Bragantino (2 a 0), que havia sido líder da chave. Na semi, espantaram a zebra Mirassol (1 a 0).

Com o time embalado, o técnico Tiago Nunes deverá repetir a formação que superou Bragantino e Mirassol, mesmo com o retorno do volante Victor Cantillo, recuperado da covid-19. A boa fase do meia Éderson, autor de três gols - todos decisivos, em chutes de fora da área - nas últimas três partidas, justifica a opção. O provável Timão terá: Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto; Gabriel, Éderson e Luan; Mateus Vital, Ramiro e Jô.

No Palmeiras, Luxemburgo não terá a mesma sorte de mandar a campo o mesmo time, já que o zagueiro Felipe Melo sofreu uma lesão na coxa e está fora - Luan será o substituto. Na lateral esquerda, Matías Viña deverá ser a novidade, recuperado de uma concussão que teve, justamente, no duelo contra o Corinthians pela primeira fase. A possível escalação do Verdão: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino e Ramires; William, Rony e Luiz Adriano.