Palmeiras vence o Delfín e se aproxima das quartas

O time de Abel Ferreira pode até perder por um gol de diferença no jogo de volta

Foto: DIVULGAÇÃO
Palmeiras vence o Delfín e se aproxima das quartas
Rony comemora um dos gols do Palmeiras

G E 

Palmeiras, mesmo cheio de desfalques, mostrou superioridade e venceu o Delfín por 3 a 1 na noite desta quarta-feira, em Manta, Equador, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores.

Depois de um primeiro tempo sem sustos e uma segunda parte com algum sofrimento, o Verdão garantiu o ótimo resultado fora de casa e se aproxima da vaga nas quartas do torneio sul-americano.

Gabriel Menino e Rony, este de pênalti, e Zé Rafael fizeram os gols alviverdes na estreia do técnico Abel Ferreira em um jogo de Libertadores. Ramires, contra, marcou para o Delfín. Com possíveis reforços no duelo de volta, o Palmeiras fica ainda mais forte para evitar qualquer imprevisto em casa.

O Palmeiras sentiu pouco o peso das ausências – onze jogadores fora só por causa de Covid-19. Com um time ainda forte e especialmente a superação de Zé Rafael, jogando mesmo com dores, o Verdão passeou em campo na maior parte do jogo, exceção feita aos primeiros quinze minutos do segundo tempo.

Após conseguir a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores, o time dá mais um passo em busca do sonhado bicampeonato da América.

O goleiro Weverton foi mero espectador de um Palmeiras que, mesmo cheio de desfalques, mostrou ser muito superior ao Delfín e criou chances naturalmente, sem se preocupar com possíveis contra-ataques da equipe equatoriana.

Pouco depois de um bom chute de Zé Rafael que passou raspando a trave, o Verdão abriu o placar com Gabriel Menino, em boa jogada pela direita e finalização que contou com a colaboração do goleiro Banguera.

Depois, coube ao time de Abel Ferreira controlar a posse de bola e procurar brechas na defesa rival. Mas foi num pênalti sofrido por Lucas Lima que o Palmeiras ampliou: Rony cobrou bem e fez 2 a 0. O Delfín não finalizou uma vez sequer na direção de Weverton.

Zé Rafael já está de olho nas quartas da Libertadores...

O goleiro Weverton foi mero espectador de um Palmeiras que, mesmo cheio de desfalques, mostrou ser muito superior ao Delfín e criou chances naturalmente, sem se preocupar com possíveis contra-ataques da equipe equatoriana.

Pouco depois de um bom chute de Zé Rafael que passou raspando a trave, o Verdão abriu o placar com Gabriel Menino, em boa jogada pela direita e finalização que contou com a colaboração do goleiro Banguera.

Depois, coube ao time de Abel Ferreira controlar a posse de bola e procurar brechas na defesa rival. Mas foi num pênalti sofrido por Lucas Lima que o Palmeiras ampliou: Rony cobrou bem e fez 2 a 0. O Delfín não finalizou uma vez sequer na direção de Weverton.

Gabriel Menino fez o primeiro do Palmeiras contra o Delfín

Logo nos primeiros segundos, o Delfín deu sinais de reação ao exigir a primeira defesa de Weverton no jogo. Diante de um Palmeiras mais relaxado, o time equatoriano achou espaços e passou a arriscar chutes, principalmente com Vélez.

O meio-campista, inclusive, quase marcou um gol olímpico. Mas a tentativa de resposta durou apenas 15 minutos, até Zé Rafael receber passe na área, tirar de dois adversários e finalizar sem chances para Banguera.

Com o 3 a 0, o Palmeiras retomou as rédeas da partida e teve chances de golear. Não aproveitou e acabou castigado com um gol do Delfín, marcado por Ramires, contra, após outro bom cruzamento de Vélez. Mesmo assim, a vantagem é boa

Zé Rafael prepara chute para marcar o terceiro gol do PalmeirasPalmeiras e Delfín voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), no Allianz Parque. O Verdão pode empatar ou até perder por um gol de diferença para se classificar.

O Delfín precisa de três gols de vantagem (ou dois, desde que vença por placar superior a 4 a 2) para avançar no tempo normal, já que os gols marcados fora de casa são critério de desempate. Vitória dos equatorianos por 3 a 1 leva a decisão para os pênaltis. 

Jogadores do Palmeiras contra o Delfín